Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Sections
Entrada > Comunicação > Notícias > Prémios e despedidas no arranque do ano escolar

Prémios e despedidas no arranque do ano escolar

Crianças de Armamar voltam aos livros

O início de mais um ano escolar foi assinalado na passada sexta feira, 18, com vários momentos quer na sede do Agrupamento de Escolas Gomes Teixeira quer no edifício da Câmara Municipal.

Ao início da manhã, num ato que contou com a presença dos membros da direção do Agrupamento e do Vice Presidente da Câmara Municipal, responsável pelo Pelouro da Educação, dos professores e auxiliares de ação educativa, foram entregues prémios aos melhores alunos de cada ano de escolaridade.

À noite, na Câmara Municipal, teve lugar uma cerimónia onde o Presidente da Autarquia, acompanhado do Vice Presidente, da Vereadora da Cultura e da Diretora do Agrupamento de Escolas, entregou os prémios de mérito escolar aos melhores alunos dos 6.º e 9.º anos de escolaridade nas disciplinas de Língua Portuguesa (Prémio Fausto José) e Matemática (Prémio Gomes Teixeira).

Nesta cerimónia o momento mais marcante foi a entrega dos certificados e diplomas aos alunos que terminaram o 12.ª ano, facto que acontece pela primeira vez em Armamar.

No momento a Diretora do Agrupamento, a professora Cristina Mexia, dirigiu-se aos alunos finalistas de forma emotiva recordando o percurso de crescimento que marcou a sua aprendizagem em Armamar. João Paulo Fonseca, Presidente da Câmara Municipal, felicitou também os alunos pela conclusão de uma etapa importante do seu percurso escolar e formulou votos de sucesso para a que se segue. Deixou ainda com a sua mensagem a esperança de que a formação superior que procuram seguir os conduza para um projeto de vida que passe pelo regresso à sua terra.

Recorde-se que a abertura do ensino secundário no município foi um processo que juntou os esforços da Autarquia e do Agrupamento, num esforço conjunto junto do Ministério da Educação para se alcançar esta pretensão antiga.

Até então os alunos que concluíam o 9.º ano tinham, para prosseguir estudos, que se matricular em escolas de municípios vizinhos, ou mais distantes, acarretando para os jovens e os seus pais significativas despesas e alterações da sua organização familiar.

 

::FIM::

 

gabinete comunicação imagem

21/09/2015