Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Sections
Entrada > Freguesias > Freguesias > Freguesia de São Cosmado

Freguesia de São Cosmado

null

São Cosmado é uma das maiores freguesias do Município. Da freguesia fazem ainda parte as povoações de Contim, Lapinha e Cardais. Está situada no limite sul do Município, fazendo fronteira com os de Moimenta da Beira e Tabuaço.

A história de São Cosmado tem tanto de antiguidade como de riqueza. Nesta zona são abundantes as lendas, os contos e as histórias. Existem vestígios de uma fortaleza castreja a nascente da atual povoação no monte do castelo. Esta tinha por vizinhas outros três: espaços fortificados (castros): o de Goujoim, o de Longa e o monte Ladário. Isto revela que a zona terá sido densamente povoada em tempos remotos.

Mais tarde São Cosmado terá usufruído de foral antigo e depois de foral manuelino, este concedido a 15 de dezembro de 1512, consagrando São Cosmado como Concelho. No Cadastro de 1527, tinha 65 moradores e confrontava com os Concelhos de Lumiares, Goujoim, Granja do Tedo e Castelo. O Concelho de São Cosmado foi suprimido em 24 de outubro de 1855, passando a pertencer, como freguesia, ao de Armamar. O desenho urbano da vila revela muitos traços dessa época.

No princípio do século XX cultivava-se tabaco em São Cosmado e, a julgar pelos registos deixados, seria de muito boa qualidade.

Do património da freguesia destacam-se: a igreja matriz, seiscentista, de São Cosme e São Damião, com talha dourada barroca e considerada a mais artística do Município. Este templo terá sido construído no início do século XVII mas antes existiu um outro templo, dos princípios da Nacionalidade, no fundo do povoado no sítio das Fontaínhas que ainda hoje é reconhecido pelo nome de Igreja Velha; merece também atenção o Cruzeiro do Senhor das Prisões e, ao fundo da freguesia, dois blocos graníticos de grandes dimensões e encostados um no outro, os Penedos do Cunho, envoltos em mistérios e lendas curiosas (uma lenda diz que um deles contém fogo e outro oiro); de referir ainda as capelas de S. Pedro (1640), do Sr. da Aflição (1904), de S. Gonçalo, da Sra. da Conceição; ainda nos Cardais a capela de S. João (seiscentista) e, da mesma época, na Lapinha, a capela de S. Francisco.

Junto da Igreja Matriz pode ver-se o busto de um insigne local, Francisco Gomes Teixeira (1851-1933), professor catedrático de Matemáticas e primeiro reitor da Universidade do Porto.

A agricultura da freguesia resume-se praticamente ao cultivo da maçã. No entanto, a vinha tem também uma pequena representação.

São Cosmado conta com serviços de apoio aos idosos, a cargo da Associação de Solidariedade Social e Recreativa de São Cosmado, que presta apoio nas valências de centro de dia e apoio domiciliário. Em Abril de 2011 a associação inaugura uma nova infraestrutura, apoiada financeiramente pelo Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais – PARES e pela Câmara Municipal de Armamar.

Através de acordos firmados com o Centro Distrital de Viseu, Instituto de Segurança Social, I.P., presta apoio a 85 utentes nas valências de lar de idosos, serviço de apoio domiciliário e centro de dia.

Para o público infantil, possui uma creche, totalmente equipada com capacidade para 33 crianças.

Contim é o segundo lugar da freguesia. Os Cardais e a Lapinha são aglomerados mais modestos e, ao contrário de Contim, desviados do eixo da estrada nacional. Estas duas pequenas povoações estão referenciadas como antigos centros de tecelagem manual, pisoamento de buréis e fiação de lãs.

Mas, voltemos a Contim. Aqui destaca-se, pela sua dimensão e beleza arquitetónica, a capela da Sra. dos Milagres. Segundo a tradição oral terá sido construída a mando de D. Maria I, como retribuição de uma promessa pela cura do infante que, segundo a mesma tradição terá sido amamentado por ama da Granja do Tedo. A enquadrar este templo, enriquecendo a envolvente do local, surgem duas construções associadas ao tempo das peregrinações: a Casa da Novena e o artístico fontanário das três bicas, na fachada da Casa da Novena.

topo