Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Sections
Entrada > At. Económicas > Setor Primário > Feira da Maçã-Apresentação

Feira da Maçã-Apresentação

null

A marca “Armamar, Maçã de Montanha”

O conceito Maçã de Montanha surge em Armamar pelo facto de se cultivarem as maçãs, um dos frutos mais consumidos a nível mundial, em circunstâncias muito especiais, com reflexos diretos no produto final.

Em Armamar a cultura da maçã desenvolve-se a cotas de altitude que variam entre os 500 e os 800 metros e isso permite obter frutos com características únicas. As maçãs de Armamar são mais aromáticas, mais crocantes e mais saborosas que outras das mesmas variedades produzidas noutras regiões. Daqui surge a Maçã de Montanha.

São produzidas mais de 75 mil toneladas por ano e este valor tende a aumentar por força dos investimentos na plantação de novos pomares e na requalificação dos existentes, do apuramento contínuo das técnicas e tecnologias aplicadas ao processo produtivo e da melhoria das redes de rega criadas.

A meio do verão passear pela parte sul do município, onde se concentram os extensos pomares de macieiras, permite-nos desfrutar da beleza das paisagens pintadas com o verde das árvores e sentir no ar o cheiro das maçãs que nas macieiras começam a ficar prontas para a colheita.

O trabalho que começa a chamar a atenção dos produtores é o da estratégia de colocação nos mercados e de venda do produto. Já se registou a marca “Armamar, Capital da Maçã de Montanha” a pensar nisso e a Feira da Maçã, um evento organizado pela Câmara Municipal em conjunto com a Associação de Fruticultores de Armamar e outros produtores, segue essa mesma linha de promoção da marca e do produto.

Mais informações sobre a produção da maçã em http://www.fruticultoresdearmamar.pt/

 

null

A Feira da Maçã

Em setembro de 2008 surgiu a primeira edição, ainda como Feira das Atividades Económicas de Armamar. A abertura do certame coube ao Ministro da Agricultura que, conduzido pelo Presidente da Câmara Municipal pôde, num único espaço, conhecer o trabalho dos diversos setores da economia armamarense, com destaque para a agricultura e seus produtos representativos: os vinhos do Douro e Porto e a Maçã de Montanha.

Na feira estavam ainda representados a indústria transformadora alimentar, com as carnes e fumeiros, os laticínios, com os queijinhos de Vila Nova, também as unidades de alojamento turístico e a restauração e todo um conjunto de empresas e empresários com as mais variadas atividades de suporte à economia do município.

No ano seguinte teve lugar a segunda edição da Feira das Atividades Económicas dentro dos mesmos moldes.

No ano 2010 a Feira assume a mesma estrutura mas passa a chamar-se Feira da Maçã. Optou-se por mudar o nome porque a designação Feira das Atividades Económicas estava associada a muitos eventos por todo o país. Para além disso, e não deixando de estarem representados no evento todos os setores da economia do município, colocou-se à cabeça a maçã por ser um elemento diferenciador para uma terra integrada na região do Douro Vinhateiro.

nullA edição de 2010 trouxe mais novidades como a parceria com a CP Comboios de Portugal no sentido de associar alguns serviços da empresa ao evento e permitir a divulgação do mesmo, por meio de cartazes e panfletos, distribuídos pela grande maioria das estações de caminhos de ferro e pelos comboios de todo o País. Nesse ano introduziu-se também o conceito das visitas temáticas do vinho e da maçã a pensar na diversificação da oferta aos visitantes. Proporcionaram-se visitas guiadas a quintas do Douro e a pomares de macieiras, complementadas com paragens em alguns dos locais emblemáticos do património natural e histórico do município de Armamar.

À medida que as edições iam passando percebeu-se que se devia associar a Feira da Maçã a entidades que pudessem acrescentar valor ao evento, oferecendo aos visitantes momentos e ações capazes de trazer algo de novo. Foi nesse sentido que ainda em 2010 se convidou para o certame a Associação Portuguesa de Nutricionistas, a Escola de Hotelaria e Turismo do Douro e o Núcleo de Etnografia e Folclore da Universidade do Porto, entre outros.

Em 2011 deu-se mais um passo em matéria de divulgação com uma equipa do programa da RTP “Praça da Alegria” a fazer dois diretos na Sexta-Feira que abria o fim de semana do evento. Foi um momento que nos permitiu divulgar a feira, sugerir a visita a Armamar como bom argumento para o fim de semana e afirmar o potencial do município a todo o país e a todo o mundo.

O Secretário de Estado da Agricultura, Eng. José Diogo Albuquerque esteve presente na cerimónia de abertura oficial da edição de 2012. O objetivo do certame centrou-se no potencial de desenvolvimento económico de Armamar, nas suas mais diversas vertentes.

A 6ª edição da Feira da Maçã realizou-se na praça em frente ao tribunal. A Associação de Fruticultores de Armamar promoveu um colóquio que foi de encontro ao tema principal do evento. O último dia de festa ficou marcado pela emissão do programa da SIC “Portugal em Festa”, transmitido em direto de Armamar.

Ligada ao evento tem estado sempre uma forte presença da cultura. As associações culturais, recreativas e desportivas do município são um dos grandes parceiros na concretização da Feira da Maçã, proporcionando vários momentos de animação que atinge o seu ponto alto com o desfile etnográfico, considerado pelos visitantes um momento de grande beleza e enorme riqueza cultural.

Desde então a feira tem ganho dimensão, com os agentes económicos locais a envolver-se cada vez mais por perceberem a importância da promoção dos seus produtos e da sua terra.

null

 

topo